Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 25 de agosto de 2013

A CADEIRA


Aquela cadeira, que ali foi posta, não o foi, apenas, para uma pessoa, nela, se sentar e, muito menos, para, simplesmente, descansar...

Quem a colocou ali foi para, ao se sentar nela, alongar o olhar para lá do horizonte, deixar-se embalar no baloiço das marés, ora a subir e ora a baixar, ver as ondas, sempre diferentes, no seu constante chegar e vê-las, de novo, a voltar, ouvir o marulhar das águas quando vêm beijar a praia, na baixa-mar, escutar o grito das gaivotas e o pilreio das andorinhas do mar...

E, também se sentou nela para, certamente, meditar, para deixar que os sonhos a levem para algum lugar, para escutar as auroras e ver o seu acordar ou, então, deixar-se ficar à espera das cores que, no final do dia, surgem silenciosas e vêm, suavemente, o céu pintar...

A verdade é que, àquela hora do dia, em que nada acontecia, a cadeira estava vazia...
    


(DO AUTOR - CADEIRA SOLITÁRIA A OLHAR O MAR - ILHA DA CULATRA)


4 comentários:

Anónimo disse...

Continuação de boas férias. Não conheço essa ilha.

Ana Lacerda

Anónimo disse...

Por quem esperará esta cadeira? O lugar não parece dos mais simpáticos,pois não? Mas,se lá está, é por algum motivo. Ou não?
Ivone Oliveira

Anónimo disse...

A cadeira basta por si...
Luísa Ramos Carvalho

Anónimo disse...

Cadeira com boa vista... Basta virá-la...
Maria João Falcão