Ocorreu um erro neste dispositivo

segunda-feira, 22 de julho de 2013

NA PRAIA


A manhã estava linda, de sol cheio e quente... e ele, no seu gabinete fechado, apenas era iluminado pela intensa e fria luz artificial que jorrava do tecto...
 
A praia, de areia branca e fina, estendia-se até ao mar tranquilo que, em pequenas ondas, a vinha constantemente beijar... e ele, na sua praia de chão de madeira escura, sentado no cadeirão cómodo, diante da secretária austera, escutava as ondas melódicas de um concerto de Mozart...
 
A água morna e pacífica daquele mar adormecido, convidava a banhos retemperadores... e ele, no seu mar de trabalho, mergulhava nos dossiers e nos projectos que tinha que rever e assinar...
 
A beira-mar, que se estende na orla da praia, de uma rocha a outra, convida a passeios introspectivos mas, ao mesmo tempo, revigorantes, na companhia constante das gaivotas... e ele, pela orla das paredes, passeia a vista pousando o olhar nos quadros por ali dependurados...
 
Por enquanto tem sido, esta, a sua praia...
 
 
(DO AUTOR - NA PRAIA, ALGURES...)
 
 
 
 
.

Sem comentários: