Ocorreu um erro neste dispositivo

quarta-feira, 24 de julho de 2013

O PAPA


Anda pelo Brasil numa missão de apoio e apelo à juventude, que "é a janela do futuro", e contra esta "cultura de rejeição" que nada faz pelos jovens. 

É "do trabalho que vem a dignidade da pessoa", diz, e o que a maioria da sociedade e dos governos estão a fazer é dar origem a uma geração de jovens que não tem trabalho, que vai vivendo de expedientes, à custa dos pais ou dos avós... e a quem vão tirando a dignidade.
 
Esta Sua viagem não é uma excursão, nem uma visita diplomática ou de cortesia, nem um passeio turístico... é mais uma voz, um clamor, uma advertência, um grito, um aviso aos poderosos, aos políticos, ao poder instituído... habitualmente surdos a estas vozes.

Ignorou as pompas preferindo a aproximação em vez do afastamento, em vez de vidros à prova da balas abriu as janelas do carro, em vez de avenidas largas sem trânsito "encalhou" nos engarrafamentos da grande cidade e aí beijou as crianças, saudou quem se aproximou e, sobretudo, sorriu, sorriu sempre muito... um sorriso bom, honesto, pacífico, doce...

Como o seu patrono de Assis tem um falar fácil, um discurso que todos entendem e que a todos toca... Oxalá que, depois desta sua visita, passe a haver mais harmonia, mais consciência social, mais justiça, mais entendimento e, sobretudo, mais sorrisos.   





(DO AUTOR - SÃO FRANCISCO DE ASSIS - AUTOR BRASILEIRO)