Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 14 de julho de 2013

AMANHECER


Depois daquele calor imenso, que dificulta o respirar, que seca os pulmões e "esfarela os ossos", daquele tempo incómodo que não tranquiliza e não sossega, veio o nevoeiro matinal e um friozinho quase agradável a pedir agasalho e aconchego...

O acordar, naquela manhã foi diferente: o fresco da madrugada invadiu o quarto ainda quente, a neblina amaciou os contrastes, esbranquiçou as cores e o canto do melro perdeu a estridência das suas "risadas de cristal"...

Um amanhecer de verão com sabor de outono...


(DO AUTOR - UM AMANHECER OUTONAL EM TEMPO DE VERÃO)

Sem comentários: