Ocorreu um erro neste dispositivo

sábado, 2 de fevereiro de 2013

O ACORDAR



A cidade, que se deixou esfriar durante a noite, agasalhou o sono em mantos de névoa, mas tão finos e tão delicados que se deixavam rasgar à menor passagem pelos aviões que, ao longe, cruzavam o alvorecer do dia e iam deixando riscos de luz, como se fossem uma pauta que dá, a cada um que a olha, a liberdade de poder escrever sobre o imaginário que o despertar do dia lhes evoca...



(DO AUTOR - O ACORDAR  DO DIA)



.

1 comentário:

Anónimo disse...

Maravilha, Raul... Arte da Natureza e arte do homem. A foto está maravilhosa e o texto muito bonito também.
Bjs
Ana Hertz