Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 17 de janeiro de 2010

Um dia sem história

Há dias assim, sem qualquer acontecimento, sem histórias para contar, sem lembranças e sem memória.
É de registar e, por isso, aqui fica a anotação: um dia cinzento, nem quente nem frio, sem chuva nem sol, sem alegrias nem tristezas, sem nada que contar.
Apenas registo um facto: recordações e saudades, sempre presentes e sempre reais. Mas essas são para a vida!

1 comentário:

Helena disse...

Quão nostalgia se abateu sem visão do que nos passa mesmo ao lado.
O dia cinzento, oportunidade de introspecção, de deitarmos fora sentimentos que nos magoam.
Nem quente nem frio o ter medo da mudança, a falta de coragem de virar a mesa e gritar existo, sou forte mas achei-o de fragilidades.
Sem chuva nem sol, quão natureza perfeita que se protege e renova nos dá vida, e chama-nos ao real.
Sem alegrias nem triste, quão incapacidade de agradecer o dom da vida, e falta de capacidade de renovação das emoções.
A sorte de ter o registo de uma vida para contar, cheia de emoções saudades experiências e vivencias, para renovar.